Neuro-oncologia

Visão Geral das Neoplasias

Existem muitas maneiras de nomear as alterações conhecidas popularmente como Câncer ou Tumores. Apesar da carga emocional e preocupação inerentes a estas palavras, é importante entender que elas tem significados diferentes, não estando necessariamente relacionadas ao grau de sofrimento causado pela doença.

Neoplasia é o processo patológico de crescimento celular descontrolado e sem propósito, que continua após a interrupção do estímulo. Por exemplo, as células que formam o nosso cérebro, os Neurônios, recebem estímulos para se multiplicar principalmente durante o desenvolvimento cerebral na gestação e infância. Quando os Neurônios começam a se multiplicar descontroladamente e sem objetivos considerados normais, chamamos de Neoplasia.

Tumor é uma palavra usada quando ocorre um aumento anormal de tecidos no corpo, tumefação ou inchaço. Pode ter causa inflamatória, correspondendo ao aumento do tecido por líquido entre as células, ou causa neoplásica pelo aumento do número de células no local.

Câncer é a neoplasia com comportamento mais agressivo, que tem maior capacidade de invadir tecidos próximos, disseminar para órgãos distantes e causar disfunções.

Atualmente, as Neoplasias são a segunda principal causa de morte em todo o mundo, perdendo apenas para as doenças cardio e cerebrovasculares.

Metástases Intracranianas

Os tumores intracranianos mais comuns em adultos são as metástases.

Quando o câncer se espalha, além do local onde surgiu (sítio primário), para outras partes do corpo é denominado metástase. As metástases podem ocorrer quando as células cancerosas viajam através da corrente sanguínea ou dos vasos linfáticos para outras áreas do corpo.

Trinta porcento dos pacientes diagnosticados com Câncer, podem desenvolver metástases cerebrais.
Os principais sítios primários são pulmão, mama e pele.

Até 15% dos paciente com câncer, não sabem do diagnóstico e descobrem a doença devido à sintomas neurológicos, causados pela disseminação de metástases para o encéfalo.

Estas lesões causam sintomas por invasão do tecido cerebral, compressão de cérebro normal próximo e aumento de pressão intracraniana.

Os sintomas neurológicos surgem em semanas à meses, sendo os mais frequentes: fraquezas focais, alterações de sensibilidade ou de coordenação, confusão, sonolência e alterações de personalidade, além de crise convulsiva e dores de cabeça persistentes e refratárias.