Hidrocefalia, o que se sabe?

Dra. Valéria Marques

Dra. Valéria Marques

Neurocirurgiã Pediátrica | CRM 97485

Hidrocefalia (“água na cabeça”) é uma doença na qual acontece um aumento anormal da quantidade de líquido (líquor cefalorraquidiano), acumulando em espaços dentro do crânio que acomodam o cérebro – acompanhado de inchaço no cérebro, com aumento dos ventrículos cerebrais – comprimindo e danificando o cérebro por dentro, alargando o osso da testa, e diminuindo o tamanho do cérebro, podendo gerar problemas de desenvolvimento, deficiência física/mental e convulsões.

Hidrocefalia é hereditário ou genético?

Apesar de nem sempre ser possível determinar o motivo, é certo que estão envolvidos alguns fatores genéticos ou hereditários, assim como a ocorrência de algumas doenças infecciosas (toxoplasmose, citomegalovírus, rubéola, sífilis, meningite), e a utilização de drogas (como a cocaína) durante a gestação.

Quando se descobre a hidrocefalia?

O diagnóstico antecipado é importante, porque a hidrocefalia pode causar sequelas limitantes e afetar a qualidade de vida.

A hidrocefalia congênita pode ser descoberta durante a gestação, no ultrassom do pré-natal, ou diagnosticada durante a infância.

Qual exame detecta hidrocefalia?

O diagnóstico normalmente é realizado pela história clínica e por exames de imagem, que mostram os ventrículos aumentados, além de avaliação da memória cognitiva ou testes de caminhada.

Como detectar hidrocefalia em bebê?

Os sintomas mais frequentes são: irritabilidade, choro agudo, vômito, letargia, estrabismo e deslocamento pra cima dos ossos da calota craniana.

Qual a causa da hidrocefalia adquirida, e quais são os sintomas?

A hidrocefalia adquirida geralmente se desenvolve depois de grande trauma na cabeça, como consequência do acidente vascular cerebral (AVC, “derrame”), ou tumor no cérebro.

Os sintomas podem incluir:

  • dores de cabeça;
  • náuseas e vômitos;
  • perda do apetite;
  • irritabilidade;
  • sonolência;
  • mudanças de personalidade;
  • desorientação no tempo ou espaço;
  • problemas de visão;
  • convulsões;
  • dificuldades para caminhar;
  • incontinência urinária.

O que provoca hidrocefalia em idosos?

A hidrocefalia “de pressão normal” pode ser resultado de uma lesão na cabeça, cirurgia no crânio, hemorragia, meningite ou tumor. Pacientes com este tipo de hidrocefalia costumam ter mais de 60 anos, sendo geralmente de causa desconhecida.

Alguns sintomas frequentes nos idosos são: muita dificuldade para caminhar, descontrole da urina, e perda da memória.

Hidrocefalia tem cura? Como tratar?

A cirurgia é feita através de um “desvio” do líquido acumulado na cabeça. Uma pequena perfuração é realizada pelo endoscópio, possibilitando que o excesso deste líquido escorra para um dos espaços normais no corpo.

Quem tem hidrocefalia pode trabalhar, e ter uma vida normal?

Muitos pacientes com hidrocefalia consegue ter uma vida relativamente normal com ajuda da pequena válvula. Um acompanhamento frequente com o neurocirurgião ajudará a garantir que a válvula esteja funcionando corretamente.